LEGENDA Bora Ler e Ver: Anohana

Quando era criança, Jinta Yadomi criou com os seus amigos o grupo Super Peace Busters. Ele era o líder e todos o chamavam de “Jintan”. Até que uma tragédia assola o grupo – a morte acidental de uma das integrantes, a Menma. O incidente leva ao desmembramento do grupo, e ao longo dos anos, os amigos acabam se afastando por completo. Só que um dia, sem mais nem menos, Menma, que deveria estar morta, surge no quarto do Jintan! Será uma sósia…? Uma fantasma…? Qual a razão do “retorno” da garota?!
Vale a pena ou a galinha inteira?

Pela primeira vez (acredito) irei recomendar ao mesmo tempo: um quadrinho (nesse caso, um mangá), um anime e um filme live-action e tudo isso por que há um motivo muito especial. Mas antes de tudo, é preciso especificar alguns termos (caso vocês ainda não estejam familiarizados com eles): 

Anime (ou Animê) é como são chamados os desenhos de origem japonesa, o similar americano são os Cartoons e há diferenças bem visíveis entre eles, e essa é uma discussão bem antiga, se eles são ou não semelhantes.
Mangá é como é chamado as histórias em quadrinhos japonesas. Diferente das Comics, que são os quadrinhos americanos, os mangás são preto e branco (podendo conter algumas páginas coloridas ou não) e a leitura se dá de trás para frente.

Ano Hi Mita Hana no Namae o Bokutachi wa Mada Shiranai, ou como é chamado na América Anohana: The Flower We Saw That Day ou ainda, apenas Anohana é uma drama adolescente que ultrapassa os conflitos de muitas nessa temática e nos apresenta um plot bem adulto. Diferente da maioria dos animes, que em sua maioria são originados do mangá, Anohana primeiro surgiu em forma de anime e posteriormente foi publicado sua versão mangá. 


Na história, acompanhamos o drama de 5 amigos que precisam conviver com a culpa da morte acidental de um deles anos atrás. Essa culpa é trazida à tona, quando a amiga que morreu, Menma aparece para um dos garotos e pede para que ele realize seu último desejo em vida e que somente assim, ela poderia descansar em paz. O grupo, que antes era formado por 6 crianças se afastou desde a morte de Menma, e caberá a Jintan - o líder deles, conseguir reuní-los para concretizar esse desejo.


Anohana foi o primeiro anime que vi (isso lá em 2011) que fugiu do típico anime de super-herói. Mesmo com a parcela fantasiosa que é a aparição do fantasma de Menma, a história ela é real, com dramas e dilemas reais. Durante toda a narrativa, há flashbacks que nos mostram como esse grupo de ex-amigos se relacionaram e vamos entendendo por que cada um se sente culpado pela morte de Menma. O anime possui 11 episódios, enquanto que o mangá é composto por 3 volumes. 

Achei o mangá um pouco corrido nos eventos, se houvesse um quarto volume, acredito que a história estaria mais bem amarradinha, como ocorre no anime. A arte do mangá é similar ao do anime e houve a preocupação de adaptar cenas clássicas, porém, como já foi dito anteriormente, a pressa tirou um pouco a magia da história animada.


Os personagens são bem clichês, caso vocês acompanhem animes durante um tempo. Jintan é o líder do grupo e que abandonou a escola após a morte da mãe e de sua amiga; Menma seria o elo que unia o grupo, após sua morte, todos se afastaram e seu espírito possui a mesma doçura que tinha quando era viva; Anaru é a garota do grupo que é apaixonada por Jintan, é uma das que mais se sente culpada pela morte de Menma; Poppo é o palhaço do grupo; Yukiatsu e Tsuruko são os estudiosos do grupo. Mesmo sendo clichês, a química da relação deles é bem real de se acompanhar, de se acreditar.

A história aborda temas como morte, amizade e a perda dela, como amigos que antes eram tão próximos, se tornaram tão distantes e isso é bem o nosso cotidiano. Geralmente fazemos amizades na infância que são perdidas no tempo. Um outro tema bem recorrente na história é o sentimento de culpa, de como coisas pequenas que façamos, podem pesar sobre nossos ombros nesse tipo de sentimento e como cada um de nós lida com isso.




Foi aquele tipo de história que chorei quando vi o anime, chorei quando li o mangá e chorei quando assisti ao filme live-action. É uma daquelas narrativas que entrou fácil, fácil para as melhores da vida e eu recomendo e sempre recomendarei para todos e com um final de arrebentar corações. Ahh e antes que eu me esqueça: eles jogam Pokémon, na verdade é um jogo similar por que eles não podiam usar o nome da franquia por causa dos direitos autorais, mas sabemos que era Pokémon <3 <3

Há também um filme animado com a história contada pelo ponto de vista de Menma e que inclui ainda acontecimentos de 1 ano após o término do anime.

Para terminar, deixarei os links para a abertura e o encerramento do anime e que são músicas lindas, lindas, lindas (ahh choro até com essa abertura gente! Cês não tão entendendo hahaha):


Aoi shiori (abertura)
Secret base (encerramento)


Então é isso pessoal, por hoje é só e caso tenham gostado do conteúdo, não se esqueçam de nos seguir também em nossas redes sociais FacebookInstagramSkoob e Twitter. 

Abraços ^^


Nenhum comentário:

Postar um comentário