LEGENDA Bora Ler: A Bússola de Ouro - Philip Pullman

Lyra Belacqua é uma garota que foi criada na Universidade Jordan em Oxford. No mundo em que vive todas as pessoas têm um dimon, uma manifestação de sua própria alma em forma animal. Após ouvir uma conversa proibida, Lyra e seu dimon, Pantalaimon, descobrirem a existência de uma substância misteriosa chamada Pó. Após descobrir que crianças estão desaparecendo e que o motivo pode ser essa nova substância, Lyra se envolverá em uma trama repleta de mistérios que colocarão em dúvida até mesmo sua própria origem.
Vale a pena ou a galinha inteira? 

Para o Desafio do mês de fevereiro, foi proposto que fosse lido um livro de fantasia. Existem diversos livros a respeito do tema que a certo ponto, pode até criar uma ambiguidade de o que se pode considerar como fantasia sem cair em outros gêneros. Entre tantas opções de livros e mesmo não querendo pegar séries/sagas antes de terminar as começadas, não conseguia tirar A Bússola de Ouro da cabeça, afinal, uma história em que ursos falam e há feiticeiras, não havia como cair na ambiguidade citada acima, quase que é obrigatório ser classificado como fantasia (salvo livros do Stephen King se tiverem feiticeiras, por que ne..., com ele o buraco é bem mais embaixo).

A Bússola de Ouro é o primeiro volume da trilogia Fronteiras do Universo escrita pelo autor britânico Philip Pullman e por ser o ponto inicial da trilogia, ele é um livro de apresentação, mas mesmo sendo um livro de apresentação ele não perde a qualidade, pelo contrário, o autor usando da sua genialidade e imaginação, consegue plantar ao longo da trama pontos que fisgam o leitor ao longo da trama.

A começar pelos dimons. Logo quando a história começa, temos Lyra passando pelas salas com seu dimon Pantalaimon, mas o autor trata os dimons como se eles realmente existissem no nosso mundo, ele não explica praticamente nada sobre a origem dos dimons ou sua real ligação com os humanos, ao longo da história desse primeiro volume, temos algumas informações sobre eles por intermédio das dúvidas de Lyra. 

Lyra é uma garota totalmente cativante, aventureira e apegada ao seu dimon. Com uma imaginação tremenda, ela também consegue ser bem mentirosa às vezes, mentiras essas que são responsáveis por salvarem ela de alguns apuros (isso não é uma apologia às mentiras rsrs). Em certos momentos, eu esperava que ela agisse de forma diferente, como outras heroínas de outros livros, mas ai eu parava e pensava: perai... ela só tem 12 anos e diferente de outras histórias que lemos, ela realmente se comporta como uma criança dessa idade.

A história em si é cheia de reviravoltas emocionantes. Quando comecei a ler, mesmo que o livro não tenha saído da minha cabeça como tema do mês, eu ainda fiquei com um pé atrás, por que não tinha certeza se minha mente estava aberta para conhecer um novo mundo, ou melhor, novos mundos. Por que sim!!! A trilogia envolverá mundos paralelos, o próprio nome da trilogia nos dá uma pista a respeito disso e também está no primeiro ou segundo capítulo se não me engano (não é spoiler).

A princípio toda essa trama pode parecer boba e infantil, mas não se enganem. Philip aos poucos vai aumentando o grau de maturidade na obra e quando o primeiro volume acaba, o leitor já percebe que o caldo irá engrossar, mais e mais... Esse mesmo recurso de amadurecimento da obra ficou bem famoso com a saga Harry Potter, porém, no caso do bruxinho foi um processo mais gradativo, uma vez que se tratava de sete livros.

Em 2007 foi lançado o filme baseado nesse primeiro volume da trilogia, porém, mesmo tendo Nicole Kidman, Daniel Craig e Eva Green no elenco, ao que parece não foi uma boa adaptação e recebeu muitas críticas negativas. 

Com uma história envolvente, um universo totalmente novo e utilizando de uma abordagem inicialmente infanto-juvenil, mas que amadurece ao longo da trama, A Bússola de Ouro é um ótimo livro de fantasia que irá agradar a todo aquele leitor que permite que sua mente vá até as fronteiras do universo.



2 comentários:

  1. Fala Tiago, tudo bom?
    Esse livro está na minha lista há muito tempo. Já assisti ao filme e "gostei mais ou menos", mas fiquei completamente apaixonado pelo cenário em que se passa a história, por isso a vontade de conhecer o livro. Gosto muito de livros que parecem infantis num primeiro momento, mas que ao decorrer da história vão amadurecendo.
    Parabens pela resenha. Um abraço ^^
    Comentários: Oficina do Leitor / Facebook

    ResponderExcluir
  2. Oi! Adoro essa trilogia e preciso reler logo. Apesar de ser mais voltada ao público infanto-juvenil, ela é bem complexa, com muitas camadas de interpretação.

    ResponderExcluir