LEGENDA Bora Ler: A Desconstrução de Mara Dyer - Michelle Hodkin

Após uma brincadeira com a tábua ouija, a vida de Mara Dyer muda completamente. Tempos depois de um presságio de morte, todos àqueles presentes na brincadeira, com exceção de Mara morrem no desabamento de um velho sanatório abandonado. A resposta para a morte de seus amigos parece estar perdida na mente perturbada de Mara. Para ajudá-la a superar o trauma, sua família se muda para uma nova cidade, para um novo começo. Então, a garota começa a ter alucinações e ela precisa entender o que houve para ter uma chance de impedir que a loucura a domine.
Vale a pena ou a galinha inteira? 

A Desconstrução de Mara Dyer é o primeiro livro da trilogia Mara Dyer, da autora Michelle Hodkin e confesso que logo no primeiro capítulo, quase que o livro me perdeu por completo. O motivo? A tal da tábua ouija (quem acompanha o blog sabe o problema que tive com essa tábua, se você não sabe, clique aqui).

O livro é um verdadeiro balaio de gato de estilos. Certos momentos achei que estava lendo um young adult, outras horas um suspense e em poucos momentos algo parecido com Carrie, do Stephen King. Mas essa miscelânea não faz em nenhum momento que o enredo se torne monótono, pelo contrário, ele dá uma fluidez enorme à leitura, imaginem: uma leitura fácil, chegando a ser até mesmo infantil, mas que utilizada sabiamente pela autora faz com que você leia, leia, leia e queira ler mais e mais...

Certos capítulos irão remeter ao passado, onde montamos junto com Mara Dyer o quebra-cabeças sobre suas memórias fragmentadas, sobre a morte de seus amigos. Outra coisa bastante positiva a respeito do livro e ainda envolvendo os capítulos, é o fato deles serem curtos, o que dá uma sensação de agilidade na leitura, diferente daqueles livros com capítulos intermináveis.

A história é toda contada em primeira pessoa e eu que particularmente não gosto de livros nesse estilo normalmente gostei bastante, uma vez que, estar dentro da cabeça da garota e acompanhar todo o seu desenvolvimento psicológico é muito mais enriquecedor para a trama, do que se ele fosse escrito em terceira pessoa, além de dar certo grau de realismo para entendermos o que ela está passando.

A leitura sem conhecimento algum sobre a sinopse do livro me proporcionou uma sensação muito prazerosa, àquela de território totalmente desconhecido, o que fez com que Michelle Hodkin me convencesse com sua história.

Por ter em sua essência uma pitada de young adult, claro que teria que haver um romance entre a personagem principal e um garoto qualquer. Acontece, que Noah não é um garoto qualquer e a ligação entre ele e Mara é muito mais do que aparenta ser e muito mais do que a própria autora propõe nesse volume.

Os personagens secundários não são bem desenvolvidos, mas quase nem fazem falta, já que o foco mesmo fica entorno de Mara e Noah. Um deles que ganha destaque é o irmão mais novo de Mara, Joseph. Não lembro, mas acredito que a idade dele não é revelada ao longo dessa primeira parte da trilogia e mesmo lendo e tendo a nítida imagem dele como uma criança de 8 ou 9 anos, às vezes, ele apresentava atitudes de adolescente.

Com uma escrita que à primeira vista pode até parecer muito infantil, mas que consegue prender o leitor entre diversos estilos diferentes, desenvolver os personagens principais e apresentar um thriller psicológico de forma muito sábia, A Desconstrução de Mara Dyer foi um ótimo ponto de ignição para o desafio de 2015.


4 comentários:

  1. Fala Thiago, como está?
    Cara, não acredito que você resenhou esse livro =o
    No momento ele é minha leitura mais necessária, ainda não pude comprar. Essa coisa da tábua de num sei oq e a coisa da loucura me intrigou desde que descobri o livro. Vejo tantos comentarios positivos a respeito dele, estou super ansioso pra ler.
    Bom saber que o livro é em 1ª pessoa, eu particularmente prefiro livros assim. Você comentou que a escrita parece um pouco infantil, espero que não seja infantil demais rsrs
    Parabens pela resenha. Um abraço
    Oficina do Leitor / Facebook

    ResponderExcluir
  2. Opa tudo bom?
    O livro realmente é bom e termina de uma forma que te deixa ansioso pelo próximo, mas como não gosto de emendar leituras de séries, darei um tempo para seguir para o volume 02, sofrer com a curiosidade um pouco hahaha
    Abraço e leia imediatamente Mara Dyer :P

    ResponderExcluir
  3. Hey Thiago :)
    Minha colaboradora já havia me indicado esse livro e depois dessa resenha fiquei com vontade de lê-lo.
    Abraço
    http://interessantedeler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Eli tudo bom?
      Fui para uma leitura totalmente descompromissado e acabei gostando muito, espero que você goste também :)
      Abraços ^^

      Excluir