LEGENDA Bora Ler: Como Se Não Houvesse Amanhã

A homenagem à banda Legião Urbana proposta pelo escritor Henrique Rodrigues irá reunir 20 contos inspirados em músicas da banda e escritos cada um por um autor diferente e como as músicas, irá abordar diversos temas do cotidiano: amor, revolta, perda, indignação e morte.
Vale a pena ou a galinha inteira? 

Descobri Legião Urbana tarde, lá em meados de 1999 por intermédio de uma amiga de colégio. Começou com Pais e Filhos e foi se alastrando como fogo em palha e no final tinha em meu repertório particular uns 85% das músicas da banda de Brasília.

Sendo que ouvia, imaginava uma série de TV ou até mesmo um livro em que eu pudesse ver aquelas histórias até então cantadas, sendo reproduzidas nas telas ou em páginas. Então veio Faroeste Caboclo no cinema e a propaganda do Dia dos Namorados com Eduardo e Mônica, sendo o primeiro uma decepção enorme e o segundo deixando um gostinho de quero mais.

Quando coloquei as mãos em Como Se Não Houvesse Amanhã, vi o tão esperado sonho de adolescência se tornando realidade. E já havia até elaborado um plano para aproveitar a leitura. O plano era: ouvir a música e ler o conto, então vieram os problemas logo no primeiro conto.

Muitos dos contos não condiziam com as músicas, sendo que um ou outro apenas citava o nome da música e fora isso, era muito diferente do que eu esperava. À medida que passava por contos de músicas que eu não gostava muito, tudo bem! Mas o coração foi batendo mais acelerado à medida que ia me aproximando daquelas músicas que eu havia elegido em outrora como minhas preferidas, afinal, o medo de que elas fossem violadas era enorme.

Então veio Por Enquanto e seu texto abordando a morte. Que conto bonito minha gente! O tipo de texto que mexe com tua emoção. Eduardo e Mônica foi outro conto que conseguiu se destacar, mostrando um futuro para o casal que combina mais do que feijão com arroz. Pais e Filhos, a música que me introduziu ao universo da Legião, também não decepcionou e fazendo o papel que um conto/livro tende a ter: deixar um pedaço dele no leitor. Meninos e Meninas foi outro conto que soube explorar a música de forma bem inteligente e coerente.

Dos 20 contos que a obra abrange, devo ter gostado uns 4 ou 5 se me lembro (e foram eles que salvaram o livro inteiro), o que é um número extremamente baixo perante o total. Tenho noção de que Como Se Não Houvesse Amanhã tem seus contos inspirados nas músicas da banda, logo, não eram obrigados a terem o mesmo enredo das mesmas e talvez esperar o contrário, tenha sido o motivo que o livro não tenha me tocado da forma que eu esperava. 

4 comentários:

  1. Olá
    É uma proposta interessante mas não me despertou muita vontade de ler.
    Abraço

    http://chacomresenha.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Léo tudo bom?
      Alguns contos são bons, agora o restante infelizmente não me agradaram, mas talvez você goste :)
      Abraços ^^

      Excluir
  2. Saudações caro mestre pokemon =D
    Que pena que este livro não foi bacana. Eu ficaria muito put* se um livro utilizasse a imagem de uma banda que eu gosto e o mesmo fosse ruim ou incoerente.
    Mas que povo salafrário kkkkk pelo visto alguns contos foram totalmente aleatórios.
    Um abraço
    Oficina do Leitor / Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Daniel tudo bom?
      Acho que o livro não me agradou foi por ter esperado muito por ele, acontece geralmente quando vou com muita sede ao pote, enfim, vamos para a próxima leitura não é mesmo?
      Abraços ^^

      Excluir