LEGENDA Bora Ver: O Casamento de Muriel

Muriel é uma mulher desengonçada, que sempre foi destratada pelas amigas e pela família, mas embalada pelas músicas do grupo ABBA, mantém o sonho de se casar e ser feliz. Após a mãe lhe entregar um cheque em branco, Muriel vê ali a chance de mudar de vida. Após roubar o dinheiro dos pais, ela reencontra uma amiga de colégio, Rhonda, e decide se mudar com ela para Sydney para tentar concretizar seu sonho e recomeçar uma vida nova.
Vale a pena ou a galinha inteira? 

Quase dois meses depois, já era hora de retomar ao Projeto 1001 Filmes e agora, vamos lá pra década de 90 falar sobre uma comédia romântica fantástica. O casamento de Muriel foi o primeiro grande sucesso do diretor P. J. Hogan e a porta de entrada para três anos depois ele realizar outro casamento, dessa vez em O Casamento do Meu Melhor Amigo. O Peter Pan de 2003 também recebe sua direção, porém, deste prefiro nem comentar (no momento).


Já na primeira cena do longa o público já tem um aperitivo do que vem pela frente. Muriel é totalmente exagerada, tanto nas roupas, quanto na maquiagem, quanto nas atitudes (e risadas). Esse é o grande apreço do filme. Você se importa de cara com ela (iria falar se identifica, mas né...). Com o tempo, ao longo do filme, você percebe que Muriel não é a protagonista certinha dos filmes de comédia romântica. Ela tem certos desvios de conduta, como roubos e pequenas mentiras, mas por incrível que pareça, você não julga ela. Você torce por ela.


Talvez essa simpatia que ela transmita esteja relacionada ao mundo horroroso que ela vive. A família, são todos uns miseráveis. O pai é um político frustado que joga suas frustrações no resto da família, humilhando eles sempre que possível. Os irmãos, são uns parasitas e inclusive, ela tem uma irmã que só sabe falar: "Muriel você é terrível!!". A mãe é a parte frágil da família, sendo totalmente apática a ponto do telespectador sentir toda sua dor, todo seu sofrimento interno e ter a vontade de levá-la pra casa. Mesmo que ela tenha essa família toda quebradiça, certo momento da história, você entende que talvez eles sejam assim, pela ausência do pai.

Saindo dos laços de sangue, temos as amigas de Muriel. Que garotas horrorosas são essas minha gente!! A todo momento só criticam Muriel por ser do jeito que é. Mas nossa protagonista encontrará em Rhonda a amiga que sempre procurou, mesmo que para isso precise contar uma ou duas, ou três mentiras talvez.


Rhonda é uma garota que quer viver a vida intensamente e decide levar Muriel para esse mundo de intensidades. Juntas as duas se mudam para Sydney. Sendo feliz nessa sua nova vida, Muriel irá esquecer momentaneamente do seu sonho em se casar, porém, após alguns eventos ele volta à tona com força total. A interpretação de Rachel, assim como a de Toni estão fabulosas, a química entre as duas dá um outro grau de realismo para o filme.


O Casamento de Muriel não é um filme sobre esteriótipos e sim sobre superação e que para essa superação, basta ter um amigo que se importe com você pelo o que você é realmente e ter músicas que te elevam o espírito. A respeitos das músicas, por Muriel ser fã do grupo sueco ABBA, o filme é repleto de canções famosas como Dancing Queen, Mamma Mia e Fernando, que fazem da trilha sonora outro ponto fortíssimo da película (destaque para o cover da banda realizado no resort por Muriel e Rhonda).

Com um ritmo muito bom, exageros que tendenciam a ser canastrões, mas que foram sabiamente utilizados, uma trilha sonora nostálgica e uma protagonista cativante ao extremo, O Casamento de Muriel é um dos melhores filmes da década de 90 e que valem a galinha inteira, ou melhor, o galinheiro inteiro.


* As imagens retiradas do filme:  Muriel's Wedding, são puramente com o intuito de ilustração e divulgação. Todos os direitos das mesmas são de seus criadores ^^


Nenhum comentário:

Postar um comentário