LEGENDA Bora Ler: 1984 - George Orwell

Vivendo em uma sociedade totalmente controlada pelo Estado, Winston Smith é um funcionário que guarda um sentimento de revolta contra esse sistema, mas que mantém escondido com medo de represálias. Até o momento em que ele encontra pessoas que compartilham da mesma ideologia e juntos tentaram burlar o sistema para terem um leve sentimento de liberdade.
Vale a pena ou a galinha inteira?

Já iria dizer que nunca havia lido alguma distopia, que 1984 era a minha primeira, então lembrei de Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley, cujo universo distópico gostei bastante, porém, da história já não posso falar o mesmo. Eu precisava ler uma distopia em que tanto o universo quanto a história me agradassem. Então veio o desafio e como minha última leitura para o desafio do Skoob fora 1Q84, resolvi pegar 1984. O início da história, quando conhecemos nosso personagem principal e todo o ambiente em que ele vive é muito interessante.

Uma sociedade em que há teletelas nas casas que vigiam seus moradores 24 horas, onde crianças são treinadas a terem mais amor ao Grande Irmão do que a seus pais (chegando a até denunciá-los ao governo) e onde até os dicionários são reformulados a ponto das palavras serem totalmente banidas e esquecidas, esse é o mundo no ano de 1984 imaginado por Orwell (isso em 1949).

O Grande Irmão seria quase que uma entidade que tudo ouve e tudo vê e dele só conhecemos seus pôsteres espalhados pela cidade. O mundo de 1984 é dividido em 3 continentes: Eurásia, Lestásia e Oceania, este último é o local onde os eventos ocorrem e com relação à Oceania há algo muito estranho com relação a leitura à primeira vista: em certo momento você simplesmente vê que Londres está do lado da China. Muito louco!!

O Partido, que é o representante do Grande Irmão, além de governar e ser responsável pela ordem das coisas, também detêm o controle do passado. Nessa sociedade distópica, o passado constantemente é alterado: documentos são apagados, registros televisivos e jornalísticos são refeitos modificando a história ao bem querer do governo e no final, aquilo que aconteceu simplesmente não aconteceu. É justamente nesse departamento que temos nosso Winston trabalhando.

Como disse, o início da história, quando temos essa apresentação é muito interessante (ainda mais se você pensar que podemos estar passando por esse controle de nossos atos quando usamos a internet), mas uma coisa que me incomodou e muito foi a própria história, ou melhor o fluxo dela no âmbito do nosso personagem principal. Até metade do livro, ele é totalmente passivo, mórbido e mesmo sabendo que ele é contra o Partido, ele não faz nada e o leitor pensa: quando o bicho vai pegar?

Quando eu já estava ansioso por "aventura" chego em um dos capítulos mais chatos e longos do livro. Chato em determinado sentido, uma vez que é apresentado algo parecido com um flashback da história dessa sociedade distópica. Então depois desse fardo, a história simplesmente fica sensacional, pena que é somente no final do livro. Já estava me sentindo culpado por não gostar dessa que é considerada a distopia das distopias, a mãe de todas elas ou no mínimo a grande irmã delas e tudo ocorreu em um virar de páginas.

É um livro que te faz refletir e até temer que algum dia isso tudo possa se tornar realidade (ou voltar, já que nosso país passou por algo parecido com a ditadura), uma sociedade em que até pensar algo contra o governo, te incrimina e você simplesmente desaparece. De certa forma, 1984 pode ser enxergado até como um livro político, afinal, a passividade do povo com relação a seus governantes, não seria o responsável para que o governo chegasse a tal ponto? Quem vai saber?

"Guerra é paz. Liberdade é escravidão. Ignorância é força."
"A liberdade é a liberdade de dizer que dois e dois são quatro."

8 comentários:

  1. Comecei a ler esse livro, mais não sei porque não me agradou, mais não vou desistir sua resenha me fez querer voltar a ler ele, vamos ver se agora a coisa anda.
    Indiquei o seu blogger para responder a uma Tag que está no meu blogger: http://sonhoseaventurasdeamor.blogspot.com.br/2014/10/respondendo-tag-liebster-award.html
    Aproveitando quero te convidar para um sorteio que também está aconteceu no meu cantinho: http://sonhoseaventurasdeamor.blogspot.com.br/2014/10/respondendo-tag-liebster-award.html.
    Estou te seguindo, gostei muito da sua escrita fique a vontade para conhecer o meu blogger, mil beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Wanderléa tudo bom?

      Essa impressão de coisa parada, também senti sobre o início do livro, mas depois ele toma um rumo muito bacana, dê uma chance pra ele que acho que você vai gostar.
      Obrigado por indicar a Tag, vou me organizar aqui e responderei ela :)
      Abraços ^^

      Excluir
  2. Olá tudo bem?
    Eu não li este livro ainda, comprei mas não li, mas eu já li A REVOLUÇÃO DOS BICHOS e gostei muito da escrita do autor, talvez eu voou ler este essa semana ainda.
    https://literaturaparaosaber.blogspot.com.br
    Abração, estou te seguindo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vinicius tudo jóia?

      Então, a Revolução dos Bichos é outro que está na estante para ser lido, mas como o livro está na casa dos meus pais, terei que esperar um tempinho para ler ele. Fiquei bastante interessado na Revolução dos Bichos depois que li o volume 2 de Fábulas, mas acho que vou gostar dele também.

      Abraços ^^

      Excluir
  3. Olá, Tiago!
    Quanto tempo! Enfim, vida corrida...
    Quero dizer que gostei bastante da resenha! 1984 é um daqueles livros dos quais eu sempre ouço falar (muito bem), sempre bem recomendados, que estão na minha lista de próximas leituras... mas que eu sei pouco - quase nada - sobre.
    Sua resenha me despertou o interesse pela leitura, que passou a frente de vários livros na fila EHAUEHUAEH
    Depois que eu ler, volto aqui pra dizer o que achei xD
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa Raphael tudo bom?
      Também sempre ouvia falar de 1984, mas sempre tinha em mente que leria A Revolução dos Bichos primeiro. Depois de ler 1Q84 que faz uma ou outra referência, quando tive a oportunidade, passei ele na frente rsrs
      Espero que goste ^^
      Abraços!!

      Excluir
  4. Oi, Tiago.
    Eu também demorei para gostar do livro, mas o motivo do meu desagrado era outro: estava achando a sociedade de 1984 falha, a falta de liberdade e a qualidade de vida tão ruim não batiam. Mas lá pela metade do livro veio a explicação sobre a guerra infinita e tudo passou a fazer sentido. Gostei bastante do livro, mas não é minha distopia preferida. Bom saber que você também gostou :)

    ResponderExcluir
  5. Olá Michelle,
    De distopias, ela foi a minha segunda (a primeira foi o mundo de Admirável Mundo Novo), então ainda estou bem recente nesse universo distópico, pretendo começar a colocar umas distopias em dia, para ter uma preferida, mas o tempo está escasso por demais rsrsrs.
    Abraços ^^

    ResponderExcluir