LEGENDA Bora Ver: O Mistério da Torre

Henry Holland é um antigo funcionário do Banco da Inglaterra, onde trabalha fiscalizando a saída de barras de ouro. Sempre foi acomodado com relação a sua profissão e ao seu baixo salário, porém, sempre almejou uma vida com riquezas e tranquilidades. Ao conhecer Alfred Pendlebury, dono de uma fundição que produz lembranças de chumbo, Holland vê a oportunidade para finalmente concretizar sua sonhada aposentadoria: Produzir lembranças feitas de ouro. Ele arquiteta um plano para roubar as barras de ouro e junto com Pendlebury e dois ladrões profissionais, formam uma gangue, mal se dando conta de que a confusão estava apenas começando.
Vale a pena ou a galinha inteira?

O Mistério da Torre, além de ter se tornado um clássico britânico, também ganhou o Oscar de melhor roteiro original em 1953 e a indicação de Alec Guinness como melhor ator.



Logo nos primeiros minutos do filme, já temos uma grata surpresa. A eterna bonequinha de luxo Audrey Hepburn, em início de carreira, faz uma participação de menos de um minuto. Outra surpresa é que o filme se inicia no Rio de Janeiro, na verdade, é apenas uma alusão ao Rio de Janeiro (com um cenário onde até arara vermelha tem - deduzo que seja vermelha, afinal, o filme é preto-e-branco).


Realmente o roteiro do filme é primoroso, apesar de conter partes que estão muito desconexas com o restante da história, como a cena das colegiais inglesas na Torre Eifel, em que Holland e Pendlebury correm atrás delas para recuperar algumas estátuas - totalmente confuso e sem nexo, porém, para o contexto do filme e graças as boas atuações de Alec e Stanley, chega a ser uma das cenas mais divertidas do filme e uma das mais memoráveis do filme, pela natureza das risadas ao descer correndo a torre.

O filme é classificado como comédia, mas conseguiu tirar uma ou duas risadas minhas. Talvez seja o tipo de comédia dos anos 50.
A comédia inglesa discreta e gentil. Antes de assistir a qualquer filme do projeto, não procuro nenhuma informação sobre ele. Nunca que eu falaria que O Mistério da Torre é uma comédia. Não que o filme seja ruim, longe disso.

Para quem gosta de filmes pós-guerra, esse é mais um que merece ser apreciado. Mesmo mostrando uma Londres ainda com um ar triste, consegue passar um espírito que foge dessa tristeza e não se torna monótono, tudo graças a química dos atores, que mesmo sendo discreta, ao mesmo tempo é divertida e honesta.


É ao final, um filme bem agradável de ser assistido, com boas atuações e um ritmo que é normal, ou seja, não chega a ser lento a ponto de dormir no sofá, mas também, não chega a ser acelerado a ponto de vibrar com algumas cenas. É um filme normal, muito bem recomendado e que consegue agradar aos amantes do cinema.



* As imagens retiradas do filme "The Lavender Hill Mob", puramente com o intuito de ilustração e divulgação. Todos os direitos das mesmas são de seus criadores.


Nenhum comentário:

Postar um comentário