LEGENDA Bora Ler: O Outro Pé da Sereia - Mia Couto

Após encontrar uma estrela cadente e enterrá-la na beira de um rio, Zero Madzero encontra a imagem de uma santa que possui apenas um pé. Aconselhado pelo adivinho Lázaro Vivo, Mwadia Malunga - esposa de Zero - precisa deixar sua casa em Antigamente e voltar até sua cidade natal, Vila Longe, a fim de arrumar um local seguro para que a santa seja guardada, caso contrário seu marido irá morrer devido a maldição das águas. A história é traçada em dois momentos temporais: A primeira no Oceano Índico em 1560, onde acompanhamos a nau portuguesa de D. Gonçalves da Silveira que viaja com uma imagem de Nossa Senhora benzida pelo papa, para catequizar Moçambique. O segundo momento se passa em 2002, na jornada de Mwadia para levar a santa de um pé só para Vila Longe, onde terá que se confrontar com o seu passado.
Vale a pena ou a galinha inteira? 

Posso dizer com convicção que Mia Couto me ganhou com este livro e inclusive que foi uma das minhas melhores leituras de 2014. Não sei dizer se é o melhor ou o pior livro dele, afinal, foi meu livro de apresentação ao autor, mas com certeza irei procurar outras obras. Por se tratar de um livro ambientado em Moçambique, com fortes traços religiosos, pensei que a leitura seria complicada, porém, sempre que havia uma palavra de origem africana, havia também uma nota de edição nos falando o que aquela palavra significava (ponto para a editora). O autor soube sabiamente montar a transição temporal entre 1560 e 2002, alternando os capítulos entre um e outro, o que faz com que o leitor fique preso à obra à medida que a história vai se desenrolando, se entrelaçando.

O livro é repleto de metáforas que muitas vezes o leitor terá que julgar o que personagem estava dizendo, se aquilo aconteceu realmente ou se foi apenas uma alusão onírica dos personagens, o que é muito bacana, por que cada pessoa, pode interpretar de uma forma diferente. Uma dessas metáforas que achei mais bacana, se diz respeito a Zero. Quase todos os personagens no decorrer do livro, dizem a Mwadia que seu marido está morto faz tempo, mas ela não acredita, afinal, ela havia deixado ele a pouco tempo em Antigamente, e ai?? 

Momento devaneio: Há uma personagem de 1560, chamada Dia Kumari, juro que sempre que ia ler o nome dela eu lia Granja Comary (eita Copa do Mundo).
Simbolismos, escravidão, religião, servidão feminina, pecados, entre outras características, fazem de O Outro Pé da Sereia, um excelente livro que irá te deixar com dó de vê-lo terminar ^^


Nenhum comentário:

Postar um comentário